Arrendar a turistas

Arrendar a turistas

Arrendar a turistas

Tem uma casa para arrendar ou vender, mas não está a conseguir fazer negócio? Há uma nova tendência que talvez possa ser solução para si: optar por arrendá-la a turistas.

Este é um negócio que está a ganhar cada vez mais adeptos, sobretudo em Lisboa e no Porto, nos bairros mais históricos. E os que optam por fazê-lo garantem que têm conseguido lucros de milhares de euros.

Magali Rodrigues, de 33 anos, estava desempregada e com um apartamento junto ao mercado do Bolhão, no Porto. Para ganhar algum dinheiro decidiu arredá-la. No início correu bem, conta ao Dinheiro Vivo, mas depois ficou seis meses sem o conseguir.

Optou, então, pela nova tendência do mercado: alojamento local ou arrendamento turístico.

“Aqui não há procura para arrendamento tradicional porque as casas são pequenas, sem elevador ou estacionamento. Ninguém quer morar aqui”, refere Luís Murias, dono de nove apartamentos turísticos.

Um T1 ou um T2 numa zona histórica custa entre 35 a 85 euros por dia e 350 a 1.000 euros por semana.

É um negócio mais vantajoso porque mais facilmente se consegue clientes, mas também obriga a uma maior preocupação, nomeadamente com limpezas, toalhas e lençóis para os hóspedes e o cuidado de deixar mimos.

Contudo, o número de casas para alojamento turístico está a aumentar e é através do airbnb.com que a maioria dos proprietários portugueses está a fazer negócio. Neste portal já existem 26.700 alojamentos disponíveis em Portugal.

ECONOMIA NEGÓCIO09:47 – 20/06/15POR NOTÍCIAS AO MINUTO